Como agir na família, na Comunidade e na Igreja

Comentarios

Como agir na família, na Comunidade e na Igreja

Como agir na família, na Comunidade e na Igreja
Imagem: Como agir na família, na Comunidade e na Igreja

Como agir na família

O bom comportamento familiar é uma chave importante, na vida de qualquer obreiro (a). Pois o mesmo estará agindo em conformidade com palavra de Deus.(1 Tm 5.8)

O obreiro (a) que aspira ao episcopado deve ter como companheira uma mulher em condições de ajudá-lo no seu ministério. Também deve ser uma pessoa equilibrada, sóbrio, ordeiro, hospitaleiro paciente, apto para o ensino, conforme a palavra de Deus determina. (1Tm 3:3-11)

O obreiro (a) casado deve tratar a esposa, e o marido e os filhos como estabelece a Palavra de Deus, tornando-se exemplo para o rebanho e também para sua própria casa. (Ef 5:24-33; 6:4, 1Tm 3:4-5)

O obreiro (a) deve ser dedicado a sua família esforçando-se o máximo para dar-lhes o sustento adequado, o vestuário, a educação, a assistência médica e o tempo necessário. (1Pe 3:7; 1Tm 3:4-5; Tt 1:6; Lc 11:11-13)

O obreiro (a) deve evitar conversas e comentários de assuntos particulares da Igreja na presença dos filhos menores, dos problemas ou frustrações, que por ventura possam acontecer em seu ministério. (1Co 4:1-4)

O obreiro deve reconhecer o auxilio da sua esposa junto à família como algo essencial, não a envolvendo no ministério ou em tarefas eclesiásticas, se ela não se achar vocacionada e assim comprometer o seu bom desempenho familiar. Porém, a esposa deve dar o auxílio que for necessário para o crescimento do Reino de Cristo e do ministério do seu marido. (1Pe 3:7, Ef 5:22-33, Gn 2:18-20)

Conheça aqui! A importância da teologia para o seu ministério.




O obreiro e a comunidade em que vive

O obreiro (a) também deve buscar participar da vida da comunidade em que sua Igreja estiver localizada, se comovendo com os anseios de seus moradores, procurando apoiá-los, quando possível, nos esforços para o bem estar de todos.

Através de uma vida exemplos, o obreiro (a) deve sempre que possível convidar as pessoas da sua comunidade a participarem dos eventos da Igreja. Não se limitando aos serviços eclesiásticos internos na Igreja.

Conhecer as autoridades de sua comunidade é muito importante no processo de compartilhamento da palavra de Deus, dar-lhes à atenção devida no processo de interação e participação da vizinhança nos eventos especiais da Igreja. Isso contribui e muito para o desenvolvimento e crescimento da Igreja. (Rm 13)

Outro ponto importante é às comemorações e celebrações cívicas que ocorrerem na sua cidade, o obreiro (a) sempre que possível deve participar desses eventos. Nestas ocasiões, é um bom momento para fazer alguns convites.

O obreiro e sua igreja

É primordial que obreiro (a) não falte nas reuniões da sua Igreja, ou seja, assuma compromissos e não os honre, pois é uma falta de caráter não para com os seus líderes, mas também para com os demais membros da Igreja, e isto é um comportamento rejeitado por Deus para aqueles que os servem.

Ao deixar seu ofício ministerial, é necessário o prévio conhecimento de sua Igreja, pois assim evitará falatórios desnecessários dentro corpo ao qual ele faz parte.

A renúncia, por exemplo, deve primeiramente ser levada aos seus líderes e somente quando realmente estiver convencido de sair daquele ministério, seja qual for o seu motivo. Cabe à liderança decidir a forma como tal decisão deverá ser apresentada à Igreja.

Não devemos assumir compromissos financeiros pela Igreja, sem a prévia autorização dos seus líderes. O obreiro (a) deve tratar toda a Igreja com cordialidade, respeito, consideração e estima, lembrando-se sempre, que o rebanho do qual ele faz parte pertence a Cristo. (Ef 5:23-25; 1Pe 5:2)

Quando o obreiro (a) viver mantido pela Igreja em tempo integral no seu ministério, estando sustentado por ela, deve considerar uma questão de honra: dedicar-se ao ministério não aceitando outras incumbências fora dela, sem o consentimento da Igreja. (1Tm 5:7)

O obreiro (a) deve ter prudência ao aceitar convites para outras funções, sempre buscando a orientação e a direção do Espírito Santo, antes assumir qualquer responsabilidade. (At 13:1-2)

Caso perceba que seu ministério não está contribuindo para a edificação e o seu crescimento da sua Igreja, converse com seus líderes peça ajuda espiritual, tente expor a situação, caso não haja melhora ou a situação seja revertida, o melhor é não continuar. (Fl 1:24-26)

Não deve utilizar de manobras políticas para manter-se em seu cargo ou obter posição. Pelo contrário, deve antes de tudo, colocar-se exclusivamente nas mãos de Deus para fazer o que lhe aprouver (1Co 10:23-31, 9:7).

As decisões da Igreja devem ser respeitadas com prudência e amor, ajudando com a sua participação, ideias e contribuições para as lideranças administrativas, sempre que existir a oportunidade para tal situação (ex: Reunião de Obreiros).

Vídeo: Treinamento para Obreiros e Líderes - (Aula 04)




Conheça aqui! A importância da teologia para o seu ministério. ETAPAS DO CURSO - CURSO PARA OBREIRO EVANGÉLICO

  1. Introdução
  2. Obediência à palavra e ao Ministério
  3. A vida Espiritual do obreiro
  4. Como agir na família, na Comunidade e na Igreja
  5. Uma vida de submissão à Deus
  6. A importância da teologia no seu ministério
  7. Conselhos práticos para o dia a dia
  8. Como se comportar no púlpito
  9. O papel dos diáconos e diaconisas
  10. O papel dos presbíteros
  11. O papel dos Pastores
  12. A importância da fidelidade

#Compartilhar: Facebook Twitter Google+ Linkedin Technorati Digg

0 comentários:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial
Tecnologia do Blogger.

Postagens mais visitadas